Relações com a Comunidade*

Anterior Voltar Próxima

 

"PROJETO APRENDENDO COM A ÁRVORE – PACA"

 

Organização

Rigesa, Celulose, Papel e Embalagens, Ltda.

Profissional Responsável

Desirée Colucci Martini

Ano da Premiação

2001

 

O PROBLEMA

O problema do meio ambiente, que vem assolando o mundo e preocupando todos os seus habitantes, já faz parte do cotidiano de cada um. As crescentes e cada vez mais graves enchentes, queimadas, exterminação da fauna e da flora, doenças respiratórias e outras não assuntam mais como antes. Somos levados a dividir nossas atividades do dia-a-adia com tamanha agressão contra o meio ambiente. A pressão sobre os recursos naturais é grande e as formas de fiscalização são muito frágeis.

A destruição ou uma simples alteração de um unido elemento do ecossistema pode ser fatal.

O PROJETO

A empresa vê e acredita que plantando a idéia de conscientização ambiental nas crianças, as respostas da natureza para as atitudes do mundo serão bem diferentes das de hoje. Deve-se tratar as questões globais, suas causas e inter-relações em uma perspectiva sistêmica, em seu contexto social e histórico.

Aspectos primordiais relacionados ao desenvolvimento e ao meio ambiente, tais como a população, a saúde, a paz, os direitos humanos, a democracia, a fome, a degradação da fauna e da flora devem ser abordados dessa forma.

Foi pensando nisso que a Rigesa, em parceria com a American Forest Foundation, trouxe o "Projeto Aprendendo com a Árvore" – PACA – para o Brasil, em 1995, e o patrocina integralmente em 180 escolas públicas, municipais e estaduais, de sete municípios do Planalto Norte de Santa Catarina: Mafra, Três Barras, Canoinhas, Major Vieira, Bela Vista do Toldo, Irineópolis e Porto União.

Presente nos Estados Unidos, no Canadá, no México, na Finlândia, na Suécia, no Japão e, agora, no Brasil, esse projeto de educação ambiental tem a missão de estimular o pensamento crítico e criativo do aluno e favorecer a participação pública, de modo a transformar atitudes. O PACA vem conferir a consciência ambiental e ética, os valores, as atitudes, as técnicas e o comportamento em consonância com o desenvolvimento sustentável.

O projeto, que está inserido no currículo escolar e faz parte de todo o planejamento didático, foi criado em 1974 pela American Forest Foundation, dos Estados Unidos, e destina-se a alunos de primeiro grau. Envolve todo o ambiente – fauna, flora, ar, terra e água – e vigora com o compromisso de ajudar as crianças e os adolescentes a aprenderem como pensar a respeito das questões ambientais locais e globais. É um projeto construtivista, pois o aluno constrói seus conhecimentos combinando experiências anteriores com novas descobertas.

A razão da existência do PACA foi baseada na carência da consciência ambiental e da proteção do patrimônio público (edificações escolares, pontos de ônibus, praças etc.), no descaso com o destino dos lixos na cidade e com a preservação urbana e ambiental dos municípios.

ESTRATÉGIA

O PACA é uma alternativa para melhorar a qualidade do currículo escolar, e a educação ambiental é um dos temas transversais previsto na Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina e nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN).

Uma educação tradicional não possibilitaria um processo educacional para a construção de um conhecimento integrado, que permita a compreensão plena do mundo. Portanto, a educação ambiental proposta no currículo escolar não é apenas um item adicional. Ela trata de todos os elementos da natureza e das relações do homem com esses ambientes em todas as disciplinas, como ciências, história, geografia, matemática ou português.

Para isso foi necessário um perfeito entendimento entre as Secretarias de Educação dos municípios, Secretaria da Educação do Estado, Coordenadoria regional de Ensino e Rigesa. Além de parcerias com várias empresas privadas, que participam subsidiando os professores e apoiando os alunos com premiações em exposições e eventos em geral.

OBJETIVOS

O benefício gerado com o PACA é muito significativo e percebido pela mudança gradativa no comportamento e na atitude responsável dos educandos. São objetivos do projeto:

Educar crianças e adolescentes com relação às questões ambientais para que, ao adquirirem conhecimentos, tornem-se cidadãos conscientes, defendendo e preservando a natureza, perseverando na sua manutenção co atitudes positivas;

Encorajar e incentivar a criatividade, a originalidade e a flexibilidade na resolução dos problemas ambientais;

Estimular a solidariedade, a igualdade e o respeito aos direitos humanos,valendo-se de estratégias democráticas e de interação entre as culturas.

 Tudo isso é levado pelos alunos à comunidade, criando assim um vínculo estimulante entre a escola e a comunidade, cujo comprometimento em relação à preservação do meio ambiente torna-se evidente, e ações paralelas vêm surgindo, demonstrando a efetiva vontade de mudanças.

PÚBLICO-ALVO

Em 1995, a implementação do projeto contou com o apoio de dois professores brasileiros, que foram treinados em Virginia, nos Estados Unidos. Naquele ano, 75 professores foram treinados no Brasil e 3.000 alunos foram envolvidos

Desde a sua implantação até hoje, aproximadamente 1.100 professores foram treinados e 26.000 alunos, de 6 a 14 anos, de todas as classes sociais, estão envolvidos no PACA, influenciando toda a comunidade onde está inserida a escola – cerca de 130 mil habitantes – gerando uma mudança gradativa no respeito, na preservação ambiental e na conscientização do verdadeiro significado da cidadania. 

Os alunos beneficiados participam do projeto aprendendo educação ambiental e os conceitos de cidadania, com um envolvimento efetivo, lúdico e científico, dentro de uma metodologia interdisciplinar e realizando projetos específicos na sua comunidade.

Também para a implantação do projeto nas escolas foi imprescindível o treinamento aos professores sobre educação ambiental; o treinamento aos professores em campo para conhecimento e interação nas atividades florestais e industriais da empresa, na preservação ambiental; aplicação da metodologia nas escolas, com monitoramento e fornecimento de materiais de suporte para a execução dos projetos específicos de cada escola. Além, é claro, dos recursos humanos: um gerente para administrar o programa, uma auxiliar administrativa e dois professores para coordenar e treinar os demais professores.

A empresa tem como objetivo atingir 12 municípios, onde possui suas propriedades florestais. Com os resultados das parcerias com outras empresas e da Secretaria da Educação do Estado, a Rigesa pretende expandir o projeto de âmbito regional para projeto de âmbito estadual.

RESULTADOS

O processo de educação ambiental é longo e permanente, e constitui um grande desafio. Os resultados esperados aparecem gradativamente e as mudanças são visivelmente percebidas no comportamento das crianças e adolescentes.

Para medir os resultados do PACA foi feita uma avaliação técnica com 42 professores, que cursavam Ciências na Universidade do Contestado. Desse total:

14% disseram que as aulas se tornaram mais interessantes;

17% disseram que a participação dos alunos é maior;

7% disseram que a freqüência no ano letivo aumentou;

50% disseram que o projeto despertou nos alunos o interesse pela preservação ambiental;

12% disseram que facilitou a interdisciplinaridade.

Outros resultados que podem ser considerados qualitativos são o alto grau de envolvimento da comunidade onde está situada a escola, o aumento do comprometimento das pessoas em relação à preservação do meio ambiente, a diminuição da evasão escolar e reprovação, devido ao fato de o projeto oferecer atividades variadas, tornando as aulas mais agradáveis e, conseqüentemente, mais produtivas.

Já os resultados quanto a mudanças positivas na imagem da empresa é algo que merece destaque pela simples manifestação de a Rigesa levar novos conhecimentos às comunidades e semear em "solo fértil", que são as mentes das crianças, os resultados gerados.

Novas avaliações serão realizadas para ampliar o número de professores e englobar os alunos e a comunidade atingida pelo PACA.

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Dentre as diversas atividades desenvolvidas com os alunos estão a produção de textos descritivos, dissertativos e narrativos e a produção artística que exploram o tema ecologia e estimula o aluno a se expressar e a saber se comunicar por meio das artes, mantendo uma atitude de busca pessoal e/ou coletiva, articulando a percepção, a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão.

Geralmente esses trabalhos são realizados com massa de modelar representando o ambiente; cartazes representando os animais em extinção com tintas guache; dobraduras representando a natureza; a utilização de técnicas de lixa sobre o meio ambiente; a utilização de técnicas com esponjas de aço; materiais recicláveis; a utilização de paródias sobre o meio ambiente; colagem de gravuras representando os animais e maquetes envolvendo o meio.

O PACA deriva outros projetos, que são interpretados como resultados qualitativos e são considerados extremamente importantes.

Reciclagem

Em eventos da comunidade e da empresa, os alunos efetuam a coleta e a seleção de lixo para reciclagem. Algumas escolas estão investindo na venda de lixo reciclável e o lucro é revertido em materiais escolares. Também os instrumentos das fanfarras escolares são confeccionados com material reciclado. Esse projeto acontece em todas as escolas envolvidas como meio de conscientizar os alunos sobre a importância dessa prática.

Ajardinamento

Existem hoje cinco pontos de ônibus que foram adotados pelos participantes do PACA. Neles, os alunos plantaram flores doadas pela comunidade, colocaram lixeiras, procurando manter limpos esses locais. Além disso, divulgaram a idéia para conscientização da comunidade. Nas escolas é desenvolvido o embelezando dos pátios.

Preservação dos Rios

Os alunos trabalham diretamente com a comunidade conscientizando-a e retirando o lixo das proximidades dos rios.

Horta Escolar

Os alunos aprendem a cultivar vegetais sem agrotóxicos, os quais são posteriormente utilizados como merenda escolar.

Eliminação do Desperdício

Esse projeto visa eliminar o desperdício da merenda escolar, reduzindo os gastos e alcançado o objetivo de "fazer mais, com menos".

O Homem como Agente Transformador

Esse projeto, que é continuidade do projeto "Eliminação do Desperdício", visa a produção de húmus, utilizando-se de matéria orgânica (cascas, talos e restos de frutas). Por meio do húmus, produzem-se mudas de hortaliças e flores, que são plantadas nas escolas ou trocadas por lixo reciclável.

Terapia Ambiental

Uma equipe de estudantes chamada "Anjos Ecológicos" dá apoio ao hospital de Três Barras. O objetivo dessa equipe é auxiliar na recuperação dos pacientes, atuando na manutenção do ambiente físico e realizando campanhas beneficentes, como:

ajardinamento do hospital;

visitas periódicas aos doentes com acompanhamento médico;

confecção de lixeiras;

homenagens a pacientes, médicos e funcionários;

participação ativa em campanhas para arrecadar, dentre outros itens, alimentos, material de limpeza, medicamentos, lixeiras, sacos plásticos, camisetas, lençóis e toalhas.

Comissão Interna de Prevenção Ambiental

Conhecida na comunidade como CIPA, o objetivo dessa comissão é agir na prevenção de acidentes dentro da escola e durante o trajeto dos alunos, professores e demais funcionários, e na conservação do patrimônio público, principalmente a escola. As responsabilidades dos membros da comissão incluem reuniões mensais, participação em palestras e treinamentos, além da obrigação de serem exemplos de organização, disciplina, bons costumes, participação, integridade, respeito, asseio corporal, dentre outros.

Existem hoje 30 comissões em atividade, sendo que cada uma delas é composta por dois ou mais professores, que servem como ponto de apoio, e 25 alunos treinados pela Rigesa. O programa já está funcionando em 30 escolas. Identificados por um jaleco azul, os componentes da CIPA devem ser, antes de tudo, líderes e pessoas de bom senso, com idéias de participação na preservação ambiental.

Projeto Boi-de-Mamão

A educação ambiental não é apenas produto da natureza, mas, sim, fruto de uma elaboração humana, com história partindo da cultura em contínua elaboração.

O objetivo principal desse projeto é resgatar e valorizar a cultura regional, como o "boi-de-mamão", que é uma das brincadeiras mais cultivadas e a mais apreciada dança folclórica da região de Santa Catarina – semelhante ao "bumba meu boi" (distinta porque o boi catarinense teria a cabeça feita de mamão), a diferença está na alegria, na improvisação e na descontração.

Usa-se esse projeto para esclarecimento e conscientização de temas que abordam a qualidade de vida, o lixo, a água e o desmatamento. Além disso, outros objetivos norteiam esse projeto, como integrar a educação ambiental no cotidiano dos alunos e familiares, conscientizando-os da importância da preservação do meio ambiente.

Os alunos envolvidos nas atividades do projeto tornaram-se cidadãos conscientes, dotados de compreensão, habilidades e comprometimento para reportar-se às questões ambientais. Com isso, está se garantindo a melhoria da qualidade do meio ambiente.

INVESTIMENTOS

Para que esse projeto fosse e seja bem-sucedido, o investimento anual é de aproximadamente US$ 28.000,00, gastos em materiais e suporte de coordenador. O gerenciamento do projeto e o envolvimento de funcionários da Rigesa, que participam efetivamente do projeto, não estão sendo calculados.

O investimento no projeto, nos últimos três anos, foi de US$ 75.531,00.

De propriedade da Rigesa, o projeto mantém uma sala, onde a coordenadora executa seu trabalho, mantendo ligação entre a escola e a empresa. Várias salas para o treinamento também são mantidas pela empresa.

A Rigesa realiza centenas de visitas às trilhas ecológicas, também de sua propriedade e manutenção, às áreas operacionais do departamento florestal e da área fabril, demonstrando, dessa forma, seu trabalho na preservação ambiental.

CONCLUSÃO

A empresa com sua força produtiva e institucional e como líder na economia regional é exemplo na preservação ambiental, nas áreas industrial e florestal, proporcionando às comunidades a melhoria da qualidade de vida e melhoria ambiental.

O engajamento da Rigesa, neste projeto, comprova que há caminhos plenamente viáveis para a conservação da natureza. Todos, governo, organizações não-governamentais, empresas privadas e sociedade em geral, podem e devem colaborar para a coexistência e proteção de um patrimônio que é comum e que dele todos dependem para sobreviver. São nessas mãos que está o destino do nosso mundo.

Transcrição adaptada dos registros existentes no CONRERP 2ª Região – São Paulo/Paraná